MAPEAMENTO DAS UNIDADES DE REFERÊNCIA - BOLETIM JULHO


13 de setembro, 2016
por Iara Fonseca de Sousa

boletim

O mapeamento, diagnóstico e avaliação das Unidades de Referência – URs – trata-se de uma exigência do projeto que tem por finalidade conhecer a realidade de cada UR em seus aspectos sociais, ambientais, históricos, políticos e econômicos, como também analisar o processo de inserção e execução do projeto Ecoforte, como o planejamento das atividades, a participação e envolvimento da comunidade local, os desafios enfrentados e as potencialidades emergidas pelas ações do projeto.
Este trabalho foi realizado por meio de entrevistas semi-estruturadas às pessoas diretamente envolvidas no projeto e visitas às URS, com a finalidade de conhecer o contexto local, a comunidade envolvida, as atividades realizadas e identificar as demandas atuais e as dificuldades enfrentadas. Sendo assim, no mês de julho de 2016 foram visitadas dez URs.

UR Fazenda Boa Sorte – Assentamento 17 de Abril, Restinga –SP
Nesta UR foram implantadas até o momento quatro Sistemas Agroflorestais (SAFs) em lotes de quatro famílias do assentamento. Atualmente, está sendo providenciado os sistemas de irrigação para estes SAFs.
Em um SAF mais antigo do assentamento foi realizado um curso de manejo com podas das árvores. Com o mesmo grupo de agricultores (as) iniciou-se, recentemente, o trabalho de captura e criação de abelhas apis, ações de formação e capacitação para esta atividade.
Iniciou-se também um trabalho com um grupo de mulheres com a finalidade de fortalecer sua organização para desenvolverem coletivamente os projetos e atividades que lhes interessam, dar maior visibilidade para seus conhecimentos, práticas e papéis desempenhados na comunidade e no ambiente.

UR Associação das Mulheres Agroecológicas – AMA-Vergel, Mogi Mirim-SP
Nesta UR foi construído uma estufa para produção de mudas de hortaliças orgânicas. O intuito era agregar os jovens do assentamento num atividade coletiva e ainda prover mudas para as famílias locais, que demandam tal material. Como não estava previsto no projeto inicial, a dificuldade agora é adquirir os insumos para iniciar a atividade de produção, como bandejas, principalmente. O grupo de mulheres também indicou a dificuldade em adquirir a certificação participativa da ANC, apesar de já ter cumprido as diversas exigência para a mesma.
Destacou-se também o desejo do mesmo grupo em iniciar um sistema de rede de consumo responsável, como forma de aproximar dos consumidores e vender seus produtos à um preço justo.

UR Associação Cornélia – Sousas, Campinas-SP
Esta UR trata-se de uma associação de agricultores orgânicos voltada a reabilitação psicossocial de pessoas com dependências químicas e transtornos mentais. Nesta UR foi construída uma câmara frigorífica com a finalidade de conservar os alimentos por mais tempo e garantir a qualidade dos mesmos. De acordo com o planejamento inicial, ainda falta a compra de algumas ferramentas úteis na produção.
Destaca-se nesta UR a enorme capacidade produtiva e diversa através de técnicas ecológicas. A associação detém todo o processo produtivo, da produção das mudas à venda dos produtos, através de um sistema dispendioso por falta de mão-de-obra fixa, já que a participação dos agricultores é instável.
Devido à escassez de recursos pela instituição, houve a demanda de cursos de mecânica para que a equipe possa se responsabilizar pelo conserto dos maquinários, o que representa um alto custo, atualmente.

UR Assentamento Milton Santos – Americana-SP.
Nesta Ur foi planejada a implantação de um SAF e de um minhocário na área coletiva do assentamento. Ambas atividades foram executadas, contudo, carecem de manejo, visto não haver água disponível para regar as mudas de árvores e nem esterco para alimentar o minhocário. As famílias presentes no momento da entrevista reclamaram da morosidade do processo como um todo, ressaltando que esta poderia ser uma razão para a baixa participação e dedicação das pessoas envolvidas desde o início do projeto.
Neste sentido, foi indicada a necessidade de se trabalhar a organização das famílias do assentamento, como forma de construir redes de solidariedade e cooperativismo entre as mesmas e assim solucionar os problemas do assentamento.

UR Associação Piracaia Orgânica – Piracaia-SP
Foram previstas três ações para esta UR: 1-Construção de uma estrada para acesso à um fragmento florestal de onde serão coletadas sementes; 2- construção de um viveiro de mudas de árvores; 3- Plantio das mudas em uma área de preservação permanente –APP. Esta ações correspondem à uma demanda do local em recuperar as áreas de nascentes e aumentar a área florestal, visto ser uma região com alta declividade e altamente desmatada.

UR Cooprafan – Artur Nogueira-SP
A atividade prevista para esta UR foi a construção de compostagem e a compra de uma concha para seu manejo, contudo, a área previamente selecionada para esta ação teve que ser alterada devido ao não interesse do proprietário. Como a cooperativa encontra-se em processo de reestruturação, ainda não foi possível redirecionar tal atividade e compra de material.

UR Sitio São José da Cachoeira – Entre Verde, Amparo-SP
Nesta UR foi planejada a construção de um sistema de irrigação de baixo custo, com roda de água e caixa d’água para irrigar uma área da propriedade com frutas e hortaliças. Esta roda já foi construída e funciona bem. Falta fazer uma construção de alvenaria para deixar mais elevada a caixa d’ àgua e criar a gravidade necessária para irrigar uma área mais alta do terreno.

UR Natureser – Caconde-SP
Esta UR trata-se de uma propriedade particular, onde o produtor desenvolve sistemas agroflorestais, tendo como carro-chefe, a banana. Ele beneficia a banana em forno solar.
Para esta UR foi planejada a compra de arames para cercar uma área onde pretende usar como pastagem e também uma máquina de despolpar frutas. A cerca foi instalada parcialmente e a despolpadeira ainda não foi comprada, pois está sendo reavaliado se esta é ainda a melhor aquisição para o momento.
A dificuldade desta UR está na carência de mão-de-obra para execução das diversas atividades que esta almeja.

UR Sítio Agroecológico – Embrapa Meio Ambiente, Jaguariúna
Esta UR tem por finalidade ser um local de troca de experiências e saberes, um ambiente de formação referentes aos sistemas agroflorestais. Para o projeto foi planejada a confecção de tanques para captação de água de chuva de um prédio ao lado do sítio e essa água ser usada para irrigação do sítio.

UR Meliponário Escola – Embrapa Meio Ambiente, Jaguariúna
Esta UR tem uma proposta de trabalho com a meliponicultura, com o objetivo de conservação da biodiversidade e manutenção do material genético. Está aliado à um projeto maior em Rede da qual a Embrapa participa de Conservação da Biodiversidade. A UR foi pensada como sendo um Meliponário Escola e foi planejado a construção de um recinto, trajetos para trilhas de observação, obtenção de colônias, roupas, cursos de formação e capacitação de pessoas interessadas em desenvolver a meliponicultura. Como espaço de formação e capacitação, já foram realizadas vários dias de campo.